Vítor Adão – Raízes

Vítor Adão – Raízes

Vítor Adão cresceu na pequena aldeia de Carvela, perto de Chaves, no coração de Trás-os-Montes.

Lembra-se das tainadas em torno de mesas cheias, no final dos dias de trabalho na terra, com pratos e copos sempre cheios. A comida – que os vizinhos e a família cultivavam, colhiam e depois comiam juntos – sempre foi sinónimo de partilha. E foi com os mais velhos que aprendeu a respeitar o produto.

Vítor trabalhou desde criança como pastor, num contexto marcado pela pobreza. Deu a volta ao que parecia ser o destino e tornou-se um Chef de exceção, marcado pelas suas raízes gastronómicas. Começou com Rui Paula e foi Chef Executivo do grupo Sem Maneiras, até que decidiu criar o seu próprio projeto. No restaurante Plano, em Lisboa, cozinha exclusivamente no fogo, sem fogão, como fez desde pequeno. A sua cozinha mantém o respeito pela tradição, pela terra, pelos produtos e pela origem, conjugados com uma abordagem contemporânea e muito pessoal.

 

Q&A Vítor Adão

O que para si representa o conceito comida? Vai além de mesas, pratos e copos cheios?A comida, para mim, é a forma de estar, ser e viver em perfeita comunhão com tudo a nossa volta. Não se pode ser bom cozinheiro sem se comer bem, sem se conhecer a origem, vivenciá-la e transportá-la.De que forma a experiência como pastor moldou o seu percurso como Chef de cozinha?Todas as experiências nos transformam e esta não foi diferente. Ser pastor moldou a minha postura, a forma como encaro os problemas e a vida. O mundo rural tem aspectos magníficos de comunhão com a vida selvagem e isso faz parte de mim, de quem sou enquanto pessoa e enquanto cozinheiro e reflecte-se, necessariamente, na minha cozinha, na conjugação entre origem e modernidade, elegância e sabor, e no percurso que tenho feito.De que forma as raízes transmontanas norteiam a sua vida profissional?Podem tirar-me tudo, mas nunca vão tirar Trás-os-Montes de dentro de mim.Ser transmontano é uma forma de ser: no carácter que transmitimos, nos sabores, no orgulho pelas origens. E essa essência está em tudo que transporto para os pratos.